3.11.19

Parques

Uma das poucas vantagens dos países em que chove dez meses por ano, como é o caso da Escócia, tive uma sorte que nem acredito, é serem muito verdes. As cidades são parques imensos.

Tudo é verde. Em todo o lado. E em todas as planícies verdes, há ovelhas a pastar. Três para cada escocês, dizem.  
Em Eddie há os Queen Gardens, enormes.
Em Glasgow há o Kelvingrove Park, junto à universidade. Passeei lá horas. No outono, particularmente bonito.

Temo que, afinal, quem tem os outonos mais bonitos é a Escócia, e não os EUA... e este parque é um pequeno paraíso na terra... enorme, ao lado da universidade de Glasgow, também ele uma Outlander location, que descobri por mero acaso. E me hipnotizou o suficiente para entrar e por lá deambular um bom bocado, encantada com as cores do outono e a poesia de uma ou outra folha a cair, quase a pairar, na verdade. E nada preocupada em me perder...


Glasgow também tem água. E muita. Adoro cidades com água...

E até estas são civilizadas.

Tudo arranjadinho, por tamanhos, cores e tipos.

Viajar pela Escócia, de combóio, autocarro ou carro, é um deleite para os olhos e um banho de poesia. Só natureza, o tempo todo. Qualquer viagem que se faça, estrada ou caminhos de ferro, é isto.


E é tão bonito...

Em toda a Escócia, onde pode haver um bocado verde, há uma árvore, ou só relva, plantada.

Toda a vista do castelo que fez as vezes de Wentworth Prison em Outlander dava um texto só... É até onde a vista alcança e é incansável... 

Kelvingrove Park é onde Claire empurra Bree no carrinho, atravessando uma ponte e passando por um escocês que toca gaita de foles.

Sem comentários:

Enviar um comentário