7.8.15

Siena: o essencial é um colírio para os olhos

As minhas companheiras de viagem decidem ir a Roma. Eu não. Roma merece-me pelo menos três dias. Além de que era o meu último dia em Itália e não queria deixar de conhecer Siena. Foi o que fiz.

Em mais uma cidade etrusca murada, Siena foi onde tudo deu certo. Tem uma parte fora da muralha e outra dentro, a velha e a nova Siena, digamos assim... Como é maior, em Siena há várias portas romanas de entrada para a parte velha, que são sempre um assombro. 

Wandering randomly é o meu tipo de visita preferido. Dei uma olhada no guia e no mapa antes de sair de casa e não lhes peguei mais. Surpreendentemente, fui parar a todos os lugares que tinha planeado ver. Quando percebia, estava nas ruas e praças certas, sem precisar de me incomodar. Dava-me inclusive ao luxo de praticamente só olhar para cima, é um desperdício não o fazer em Siena, cujas glórias artísticas são maioritariamente góticas.






 Il Campo, uma das mais conhecidas praças da cidade.
Fonte da felicidade





  

Sem comentários:

Publicar um comentário