3.8.15

Off the Beaten Track: Cortona: Coisinhas

Em Cortona, o couro é de tanagem vegetal, a que não dá alergia, o que me dá uma enorme alegria. Por isso, comprei um saco de viagem grandinho, que a Ryanair haveria de considerar mala/bolsa de mão, para dar conta do que já tinha acumulado até então, e muito me controlei eu, e que já não me cabia no troley de cabine, pelo qual não paguei um tostão, apesar de ter ido no porão, porque diz que o voo estava cheio. Fiquei-me pelo saco porque estava com um preço que era simplesmente impossível não o trazer, mas todas as malas e malinhas me ficaram atravessadas. 
Leather Made in Italy, the best leather...
Vou morar aqui, dentro desta loja... Dá vontade de comprar uma bolsa de cada cor e uma de cada tamanho... 
 Denial is my middle name...
Cortona encanta a cada ruazinha, a cada detalhe, a cada particular...

E as lojas são uma perdição...


 

Almoçámos num restaurante que vimos logo à chegada, longe das praças atulhadas de turistas, que era uma graça sem fim.



Finalmente, prosecco.
 Nasci pra isto...
 Risotto de flores, tão delicioso, quanto original.
 "Não se pode pensar bem, amar bem, dormir bem, se não se comeu bem". Virginia Wolf

 Mix de sobremesas, qual delas a melhor... Ainda perguntei ao moço de onde eram os morangos, os mais deliciosos de que me lembro. Disse que eram da terra dele, que os traziam de lá. Lamentavelmente, um pouco longe. Tivera eu tempo e ia até ao fim do mundo atrás deles. 
E tomámos café na praça. Um cafe e un bacio.
Ao que o moço respondeu atirando-me um beijinho pelo ar. Previsível, mas fofucho. 
Só depois trouxe o café.
Agora só quero um café e um Bacio, produção de Peruggia, uma das cidades da província de Arezzo. 

Sem comentários:

Publicar um comentário