3.2.14

Pedro Terra*

As comunidades ribeirinhas são pequenas e espaçadas, muitas vezes constituídas por apenas uma casa.
Uma pena ser tão longe, o cenário era idílico, uma canoa e três meninos, no meio do Amazonas, parecia uma cena tirada de um filme.

Conheci o Pedro Terra, estava a jantar na nossa sala, que é como quem diz, no chão, debaixo das nossas redes. É casado e tem dois filhos giros e vivaços. A mulher dele é a autora da frase: "as mais sonsa são as mais onça". No momento em que o conheci, tratava do jantar deles, do Érico e da Érica. Viaja com a mãe e sabe Deus quem mais, mas ao todo devem ser umas dez pessoas, todas mulheres, conversadoras e bem-dispostas, de uma cidadezinha da qual sou incapaz de me lembrar do nome. 
A família do Pedro Terra, a matriarca em grande plano, e a mulher dele é a terceira, de mão no queixo, engraçada e sorridente, o tempo todo. (Foto: Camila Mendonça).
O Pedro Terra é lindo, quieto, pele e olhos escuros, tudo no sítio, como um índio deve ser. Não lhe ouvi uma palavra durante toda a viagem, ou estava a cuidar dos filhos, ou dormia. Carinhoso com os miúdos, sempre, sem precisar de dizer um ai. O facto de ter dormido o caminho quase todo permitia-me ficar a olhar pra ele, admirando-lhe os traços, descaradamente. (Foto: Camila Mendonça)
Érico e Érica (Foto: Camila)
Pôr-do-sol no Amazonas

Navegamos no rio trombetas e paramos na cidade de Oriximiná, 
onde nos deparamos com a necessidade e o engenho em estado puro:
Para não terem de entrar no barco, rapazinhos de não mais de 14 anos e homens de barba rija usam uma vara, com uma garrafa de plástico meio aberta, em cima da qual põem as marmitas, elevando a vara até ao cliente final, que deposita o dinheiro lá dentro. Para o apanhar, eles enfiam a vara na água até a uma altura suficiente que lhes permita tirar o dinheiro lá de dentro. 
Dá pra ver a dimensão do Titanic dos trópicos, não há qualquer truque de imagem que induza a ilusão de ótica.

*Personagem da obra de Érico Veríssimo: "O Tempo e o Vento"

1 comentário:

  1. Chama Medicilândia a cidade das "amigas" da rede, chegando em Santarem elas ainda iam pegar 24hs de busão, ossoooo..... rsrsrs

    ResponderEliminar