18.6.09

Casa de cultura 2

Este jardinzinho, catita que só ele, fica na casa de cultura também. O edifício é de um rosa imponente e lá dentro há de tudo, desde exposições a bibliotecas, infantis e juvenis e de adultos, com livros pra pedir emprestado.

Lá em cima, há um café lindo de morrer, com saída para o terraço. O tempo não convidava, a vontade de fumar sim. Ficámos lá fora, onde degustámos um cafezinho esperto. Paguei pra mais de uma fortuna por um maço de cigarros, que deitei fora porque eram intragáveis. Pra eu não conseguir fumar um cigarro é preciso muito, no caso, saber de tal maneira mal que até hoje o cheiro da caixa onde os enfiei, a arejar lá fora desde ontem, me dá náuseas. Coisa nojenta, deus me livre. Era suposto saberem a menta, sabiam mal, mal, mal... Não fosse a excelente companhia, e o expressozinho esperto, e ter-me-iam posto mal-disposta pro resto do dia.

2 comentários:

  1. silvana19:07:00

    Que pena estar aquele tempo horrível. Mas como tu dissestes: valeu a companhia.

    ResponderEliminar
  2. é linda a Casa de Cultura, valeu por isso tb, valeu por td, aliás ;-)
    Bj

    ResponderEliminar