16.3.09

A Faria Lima é o meu sonho de consumo

As aulas já começaram... A Andrea é uma guionista conhecida e o curso parece-me, pra já, muito bom. Muito prático e informal. Contrariamente ao que acontece aí, há mais gajos do que gajas. O mais simpático é um polícia militar casado e pai de filhos, enfim... Há alguns jornalistas, uma delas, gaúcha, muito simpática. Há pessoal da publicidade, uma assistente de realização, pessoal que trabalha em produtoras, gente da área.

A cidade é enorme mas não nos assaltam a cada esquina, como poderíamos pensar à primeira vista. Além de que, é super, mas super policiada. É fascinante porque é tipicamente americana na cena dos arranha-céus, a Faria Lima podia bem ser uma avenida nos EUA, chique que só... É tipicamente latino-americana na cena das casas baixas, os botecos todos abertos, e é também um pouco europeia em alguns edifícios.

Quem tem boca continua a chegar onde quer e aqui as pessoas, nas estações de metro e os polícias na rua, sabem tudo e são muito simpáticos nas respostas. É impossível andar de guia, aliás, os guias de São Paulo que existem são guias 4 rodas, tipo mapas da cidade, gigantes, uma bandeira só pra quem anda a pé e de busão. Ando pla cidade de autocarro e de metro, que é o ideal, super rápido e tem uma estação muito perto do local onde faço o curso.

Na falta de um apartamentão na Faria Lima, venha de lá a pensão na linha azul, vá...

PS: Ainda não perdi a esperança de vos poder descrever o que é o Largo da Batata...

2 comentários:

  1. Anónimo12:13:00

    Isa. O largo da batata é uma dimensão paralela. Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Cara, eu ainda vou conseguir descrevê-lo. é fascinante...
    Bjs

    ResponderEliminar